RSS

Arquivo da tag: Pensamentos

Cuidado com a tristeza!

Não entregues tua alma à tristeza, não atormentes a ti mesmo em teus pensamentos.” (Eclo 30, 22)

Cuidado com a tristeza!Quantas e quantas vezes somos pegos de surpresas por um sentimento de tristeza que invade o nosso coração?!
Não sabemos ao certo de onde surgiu, aparentemente não há motivos para estarmos tristes, mas acabamos tendo este sentimento dentro de nós…
O problema deste tipo de sentimento de tristeza que nos invade é que ele …Continue lendo…

 
1 comentário

Publicado por em 17 17UTC julho 17UTC 2013 em Geral

 

Tags: , , , , ,

Deus escuta os pensamentos do Demônio?

Padre Jose Fortea

Padre Jose Fortea

Seguindo alguns ensinamentos na qual falei que iria publicar sobre Padre Jose Fortea, abaixo segue mais um deles!

Não vamos esquecer: Padre Jose Fortea estará em nosso Proximo Acampamento de Cura e Libertação de 27 à 29 de Abril de 2012, em Cachoeira Paulista!
Traga sua Caravana e toda a sua Familia.

Para mais informações ligue: (12) 3186-2600

Deus escuta os pensamentos do Demônio?

Sim, Ele conhece os pensamentos daqueles Seus filhos que se rebelaram e se distanciaram.

Eles O abandonaram, mas o Altíssimo segue ouvindo-os. Deus os escuta instante a instante desde  seu eterno presente. Eles estão no evo, mas o Deus Onipotente os escuta desde toda a eternidade!

Os ouvidos imaculados do Santo dos Santos os escutou, os escuta e continuara escutando os seus ódios, todas as suas blasfêmias e todas as suas iras. Pois nada altera Sua perfeita beatitude.

Incluso ainda o fato que a Onisciência faz parte paradoxalmente de Sua Gloria. Nada passa aos Seus olhos Oniscientes.

Ele conhece cada um dos pensamentos dos Condenados que existem, assim como todo o pensamento dos Condenados que poderiam haver existido e que não vieram a existir!

Leia também:

1. Posso ir a Cartomantes?

2. O Demonio sabia o meu nome…

3. Os dons que Satanás concede!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 29 29UTC fevereiro 29UTC 2012 em Geral, Perguntas e Respostas

 

Tags: , , , ,

Os Pecados dos nossos Pensamentos I

Precisamos estar atentos aos nossos Pensamentos!

É preciso que estejamos atentos à maneira como o demônio se aproxima de nós, e qual o meio que ele tem se utilizado para nos tentar e fazer – nos cair em pecado.

Nos dias de hoje e pelo contato que tenho tido com as pessoas que vem em busca de ajuda, tenho percebido que de maneira especial o demônio tem se utilizado para fazer-nos cair a nossa própria carne, e atacando de maneira direta a nossa pureza!

O meio que ele tem encontrado para atacar a nossa carne e a nossa pureza são: Os nossos pensamentos, os nossos olhos e o nosso coração!

Quero neste artigo partilhar um pouco mais o que tenho aprendido e experimentado a respeito dos nossos pensamentos! Terei que dividi – lo em algumas partes por se tratar de um assunto delicado e que exige antes de tudo alguns pontos a serem um pouco mais detalhados.

Como é grande por vezes a luta em que travamos contra nossa carne por causa dos nossos pensamentos! Por vezes não é nem mesmo nossa intenção pensar em algo que vem a nossa mente, mas ele surge, às vezes com tamanha força e intensidade que não conseguimos lutar contra eles e nos deixamos arrastar para aquilo que estes pensamentos nos sugerem!

O dom da Castidade que como nos ensina o Catecismo no número 2337 é:  “A castidade significa a integração correta da sexualidade na pessoa e, com isso, a unidade interior do homem em seu ser corporal e espiritual.” É este o dom que nos ajudará a combater as tentações contra nossa pureza através dos maus pensamentos! A Castidade nos ajuda na maneira correta de utilizamos os nossos pensamentos, desejos e ações.

São Carlos Borromeu nos ensina que: “É impossível que te conserves casto, se não vigiares continuamente sobre ti mesmo, pois a negligência traz consigo mui facilmente a perda da castidade”.

Primeiro ponto importante então que devemos notar é que não conseguiremos ser castos, sermos puros em nossos pensamentos, se não estivermos atentos a nós mesmos, aos nossos impulsos, as nossas reações, e aqui em questão se não estivermos atentos aquilo que temos alimentado em nossos pensamentos! São Carlos Borromeu ainda diz que a negligência faz com que percamos a castidade. Negligência nada mais é do que a falta de cuidado ou de aplicação à uma determinada situação ou tarefa! Um sinônimo que cabe bem à negligência pode ser DESCUIDO!!

Se então é necessário cuidado aos nossos pensamentos, é necessário que os VIGIEMOS constantemente. A respeito dos pensamentos, Santo Afonso Maria de Ligório nos ensina em seu Tratado sobre a Castidade, que podemos cair em um duplo engano:

a) Almas que temem a Deus e não possuem o dom do discernimento e são inclinadas aos escrúpulos, pensam que todo mau pensamento que lhes sobrevêm é já um pecado. Elas estão enganadas, porque os maus pensamentos em si não são pecados, mas só e unicamente o consentimento neles. A malícia do pecado mortal consiste toda e só na má vontade, que se entrega ao pecado com claro conhecimento de sua maldade e plena deliberação de sua parte. E, por isto, Santo Agostinho ensina que não pode haver pecado onde falta o consentimento da vontade.

Por mais que sejamos atormentados pelas tentações, pela rebelião de nossos sentidos, pelas comoções ou sensações desregradas de nossa natureza corpórea, não existe pecado algum enquanto faltar o consentimento.  Como ensina também São Bernardo, dizendo: “O sentimento não causa dano algum, contanto que não sobrevenha o consentimento”.

Para consolar tais almas timoratas e escrupulosas, quero oferecer-lhes aqui uma regra prática, aceita por quase todos os teólogos: Quando uma alma que teme a Deus e detesta o pecado, duvida se consentiu ou não em um mau pensamento, não está obrigada a confessar-se disso, porque, em tal caso, se tivesse realmente cometido um pecado mortal, não estaria em dúvida a esse respeito, porque o pecado mortal, para uma alma que teme a Deus, é um monstro tão horrendo, que não poderá ter entrada em seu coração sem o perceber.

b) Outros, que possuem uma consciência mais relaxada e são mal instruídos, julgam, pelo contrário, que os maus pensamentos nunca são pecados, mesmo havendo consentimento neles, contanto que não se chegue a praticar. Este erro é muito mais pernicioso que o primeiro. O que se não pode fazer, não se pode também desejar; por isso, o mau pensamento em si contém toda a malícia do ato. Assim como as más obras nos separam de Deus, também os maus pensamentos nos afastam d’Ele e nos privam de Sua graça. “Pensamentos perversos nos separam de Deus” (Sab 1, 3). Como as más obras estão patentes aos olhos de Deus, também Sua vista alcança todos os nossos maus pensamentos para condená-los e puni-los, pois “um Deus de ciência é o Senhor, e diante d’Ele estão patentes todos os pensamentos”

Com isso começamos a entender duas coisas muito importantes nesta luta que devemos travar sobre os nossos maus pensamentos:

– Não podemos descuidar dos mesmos, ser negligentes! É preciso atenção aos pensamentos que surgirem em nossa mente, é preciso cuidado, zelo…

– E, nem todos os nossos pensamentos são pecados, e nem todos os que são pecados trazem em si o mesmo cunho de malícia, a mesma gravidade, o mesmo peso!

No próximo artigo trarei 3 coisas que precisamos considerar quando se trata de um pecado de pensamento!

Deus abençoe você!

Leia também:

1.“Os Pecados dos nossos Pensamentos II”

2. ” Oração de Renuncia I”

3. “Quem é Padre Gabriele Amorth?”

Sobre o Autor:

Danilo Gesualdo, atua junto ao Ministério de Cura e Libertação, residindo em Cachoeira Paulista.
Para contato me envie um e-mail: livresdetodomal@gmail.com Saiba mais sobre: Danilo Gesualdo ou siga Twitter (danilogesualdo)

 
6 Comentários

Publicado por em 27 27UTC julho 27UTC 2011 em Cura Interior

 

Tags: , , , ,

Os Demônios podem ler nossos pensamentos?

Para esta pergunta irei citar o que nos ensinou o Padre José Antonio Fortea em seu livro sobre demonologia.

“Os Demônios podem nos tentar, mas não podem ler nossos pensamentos. Embora, dada a sua inteligência, possam adivinhar o que pensamos. Por serem seres mais inteligentes do que nós, eles deduzem muito mais coisas com maior segurança do que deduziríamos com poucos sinais exteriores. Mas se deve lembrar que eles estão fora de nossas almas; só Deus pode ler a nossa alma. Se mentalmente nos dirigimos a um santo, anjo ou demônio, eles podem nos escutar. Por isso, é indiferente fazer a oração tanto por via oral como mentalmente. Também, é indiferente ordenar mentalmente ou em voz alta para que um demônio saia. Nos casos distintos de possessão, foi observado que o demônio obedece ordens dadas mentalmente.”

Continue enviando as suas duvidas, que na medida do possível as mesmas serão respondidas e postadas no Blog.

Para enviar suas duvidas ou perguntas, basta me adicionar ao seu Twitter e lá deixar sua pergunta.

Leia também:

1. “Posso ir a Cartomantes?”

2.“A contaminação pela prática e busca do Oculto”

Sobre o Autor:

Danilo Gesualdo, atua junto ao Ministério de Cura e Libertação, residindo em Cachoeira Paulista.
Para contato me envie um e-mail: livresdetodomal@gmail.com Saiba mais sobre: Danilo Gesualdo ou siga Twitter (danilogesualdo)

 
2 Comentários

Publicado por em 27 27UTC junho 27UTC 2011 em Geral, Perguntas e Respostas

 

Tags: , ,

De onde vem a tentação que estou sofrendo?

A realidade espiritual que nos cerca é real; seja a realidade que nos inspira para o bem, seja para a realidade que nos inspira para o mal.

O importante é que não podemos deixar que estas realidades passem despercebidas em nossas vidas, seja por falta de conhecimento ou até mesmo por esquecimento devido ao nosso dia a dia tão corrido.

E queria aqui chamar atenção para uma das realidades espirituais que nos cerca e que é de fundamental importância: A tentação!

Não quero aqui tratar da tentação vista somente de maneira teológica, ou querer fundamenta – la ou algo deste tipo; mas quero expor uma realidade da tentação na pratica, que muitos homens experimentados em Deus aprenderam e que devemos ter a mesma postura.

Muitas pessoas perguntam como distinguir se estamos de fato sendo atingidos por uma tentação que tem a origem no diabo, ou se a tentação que estamos sofrendo provem de nós mesmos, da nossa concupiscência

É uma pergunta um pouco difícil de ser respondida, pois muitos fatores precisariam ser analisados para podermos chegar a uma conclusão mais acertada. Mas um bom critério para fazermos este discernimento é analisarmos como surgiu esta tentação, como ela nasceu dentro de nós. E para isso não é preciso muito tempo de discernimento não, até mesmo porque onde quero chegar com você em relação a este conceito de tentação, diz exatamente de tempo, e por isso não se pode perder muito tempo até mesmo no discernimento sobre a tentação.

Analise como foi que esta tentação surgiu: Foi de alguma situação que você viveu? Foi de algo que você viu? De algo que você ouviu?

Que área da sua vida esta tentação esta querendo atingir: É a sua Afetividade? É a sua Sexualidade? É o seu emocional, seu psíquico?

Qual a via que a tentação esta se utilizando: Pensamentos? Emoções? Fantasias? Lembranças? Imaginação?

Tudo isso nos ajuda a discernir quem esta por detrás da tentação que estamos sofrendo.

Um ponto que é fundamental para este discernimento é a intensidade e a constância na qual esta tentação esta atuando. Se você percebeu que de repente e sem nenhum motivo surgiu algum tipo de tentação sobre você, e a mesma veio de maneira muito violenta, com uma intensidade muito grande, não receio em dizer que é quase certa que esta tentação provenha do Maligno, do diabo, de forma a te atingir diretamente e sem querer dar tempo para que você reaja contra ela.

Uma outra forma de discernimento é a constância que esta tentação permanece atuando sobre você. Se você percebe que uma tentação permanece por muito tempo atuando sobre você, também não receio em dizer que a mesma provenha diretamente do diabo.

É difícil de fato ter a convicção de onde a tentação provenha. Não existe uma regra para o diabo agir, ele é sorrateiro, inteligente e muito astuto quando o assunto é fazer cair os filhos de Deus.

Não é regra geral, mas geralmente uma tentação que provenha na nossa natureza humana, da nossa concupiscência, ela é estimulada por algo que nos chame a atenção ou que nos seja prazeroso, ela precisa receber um estimulo para ser despertada e ai vai tomando espaço dentro de nós, até que se alimentada por muito tempo concebe o pecado!

Já a tentação que vem diretamente do Maligno pode até mesmo surgir do mesmo modo, de algo que nos estimulou, e logo recordamos de algo que vivemos, e se não a rejeitarmos conceberemos o pecado. Mas neste caso então, é preciso que nos foquemos nos dois critérios que citei acima: Intensidade e Constância!

Quero aqui citar um exemplo simples, mas que nos ajudará a entender um pouco a diferença entre uma e outra:

“Um homem por muito tempo que foi um dependente do álcool, um alcoólatra;  estava na passando na rua, em direção a sua casa e passou em frente a um bar na qual por muito tempo ele frequentou. Ao passar pelo bar seus pensamentos começaram a relembrar os momentos que ele estava ali bebendo e se divertindo, e novamente ele começa a sentir vontade de beber, mesmo que seja pouco este desejo de ir lá e beber é real dentro dele. Mas ele se lembra de toda a luta que foi para largar o álcool e tudo o que de ruim as consequências do álcool trouxeram para a vida dele. Ele continua a andar e tenta por alguns minutos esquecer tudo o que viveu e tenta esquecer este desejo de ir lá e beber. Passado algum tempo o desejo se foi, passou como se nunca estivesse existido.”

É possível que esta tentação que este homem acabou de vivenciar tenha vindo da sua própria concupiscência. Pois foi estimulada pela lembrança quando passou em frente ao bar, porque depois de um tempo de luta ela deixou de atormentar este homem, então a intensidade e a constância não fugiram da normalidade.

A outra situação é também relacionado a um dependente do álcool, e  é a seguinte:

“Um homem esta em sua casa arrumando o encanamento da pia para sua esposa, e ali ele esta concentrado no trabalho. De repente e sem nenhum motivo aparente este homem é tomado pelas lembranças de quando ele ficava naquele bar bebendo. Se lembra ainda dos companheiros e de toda a diversão vivida ali. As lembranças são tão intensas que o seu corpo começa a reagir mostrando o desejo e o prazer que a bebida lhe trazia. Este homem se lembra que o bar é próximo a sua casa, e que talvez se ele for lá ele nem mesmo beba, mas quer ir lá somente para rever os amigos e conversar um pouco. Aqueles pensamentos não param em sua mente, e ai ele começa com uma auto sugestão de que se ele for lá e tomar somente um copo de cerveja ele não irá voltar a cair no vicio. Estes pensamentos por mais que o homem tente rejeita – los eles persistem e vão montando articulações nos seus pensamentos de que este homem já superou a dependência do álcool e que não haverá problema ir até este bar…”

É possível que esta tentação tenha vindo diretamente do Maligno. Pois não a estimulou, surgiu de repente. A intensidade e a constância por mais que este homem rejeitasse este pensamento, continuaram! Os seus pensamentos já começaram incentiva – lo a ir ao bar não para beber, mas para rever os amigos; pura estratégia de satanás querer manobrar a realidade e disfarçar a verdadeira intenção. Logo depois a tentação começa e lhe sugerir que este homem já superou o seu vicio e que, somente um copo não lhe fará mal algum! Mais uma vez satanás quer mascarar a verdadeira intensão!

Coloquei este exemplo simples para começarmos a ficar atentos ao nosso dia a dia, as tentações que temos sofrido e como a mesma tem se comportado dentro de nós!

E para terminar – pois escreverei ainda mais para frente sobre a tentação – quero dizer que nada melhor do o Espirito Santo a nos ajudar neste discernimento sobre a tentação. Peça ao Espirito Santo o Dom Carismático do Discernimento dos espiritos, na qual lhe ajudará a discernir a fonte do mal que lhe atinge!

Rezo por você e pelas intenções que você traz no seu coração!

Que Deus possa lhe abençoar e te dar todas as armas necessárias para vencer suas lutas no dia a dia!

Acesse também:

1. “O nome de Jesus e o Demonio”

2. “Por que escrever sobre o Mal?”

3. “Super Espiritualidade: Cuidado!

Sobre o Autor:

Danilo Gesualdo, atua junto ao Ministério de Cura e Libertação, residindo em Cachoeira Paulista.
Para contato me envie um e-mail: livresdetodomal@gmail.com Saiba mais sobre: Danilo Gesualdo ou siga Twitter (danilogesualdo)

 
3 Comentários

Publicado por em 18 18UTC março 18UTC 2011 em Geral

 

Tags: , , , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: